TUDO SOBRE O LEGAL METRICS EP. 2

Publicado em: 20/09/2021
gestão jurídica

Ferramenta de Gestão Jurídica

Por que falar do Legal Metrics também significa falar de gestão jurídica? E por que falar de gestão jurídica é relevante?

Bom, primeiramente, é necessário pontuar que quem faz a gestão não é o B.I., ele é “apenas” um meio para que o usuário consiga exercer essa função de forma assertiva e qualitativa. Mas sim, por ser um Business Intelligence nichado (pensado especificamente para o mercado jurídico), e esta natureza de ferramenta ter por objetivo o fornecimento de indicadores de desempenho, falar em Legal Metrics significa, também, falar em gestão jurídica. 

Agora, quanto ao valor e necessidade de gestão, assim como desenvolvido nos estudos de Peter Drucker – um dos pais da administração – para o bom funcionamento de qualquer organização é necessário desenvolver as capacidades de “ planejar, organizar, ajustar, medir e formar pessoas”, ou seja, gerir.

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), bem como outras diversas instituições e profissionais de renome, compreende que existem alguns elementos essenciais para uma gestão eficiente – independentemente do ramo de aplicação. Dentre as formas de denominá-los, no ano de 2020, a referida autarquia, os elencou da seguinte forma: 

  • gestão financeira; 
  • definição clara dos processos; 
  • colaboradores engajados organização dos tributos; 
  • gestão de indicadores estratégicos;
  •  planejamento estratégico.

Se analisados atentamente, pode-se perceber que todos os pontos levantados pela instituição se relacionam e, ainda, que seu maior ponto de conexão é a gestão de indicadores estratégicos. Não por acaso, o SEBRAE ressalta que este pilar é o mais relevante. Isto porque, uma vez que esta gestão é exercida de forma satisfatória, ou seja, o negócio possui uma estrutura e organização de seu banco de dados que possibilita a geração de  KPI´s (Keys Performance Indicator), torna-se possível analisar o funcionamento da empresa como um todo. 

Sendo assim, detectar a origem dos custos – para uma boa gestão financeira, entender a efetividade dos processos internos – para que eles possam ser definidos de modo à atender as demandas à que se destinam, compreender as fragilidades das relações entre os colaboradores – que se expressam indiretamente nos números da empresa, entre outros aspectos, se torna muito mais fácil. 

Posto isso, fica evidente a importância do nosso queridinho B.I. para gestão dos negócios no setor jurídico, certo? Esperamos que tenham compreendido os pontos desenvolvidos e, ainda, estamos abertos às dúvidas e sugestões! 

Até a próxima!

Leia mais em: https://www.juristecplus.com.br/blog/